Archive for November, 2013

Grupo LATAM divulga estatísticas

No Comments »

LATAM Airlines S.A.O grupo de empresas de linhas aéres LATAM Airlines S.A. e suas filiais (NYSE: LFL / IPSA: LAN / Bovespa: LATM11) líder em transporte de passageiros e de cargas na América Latina, informa suas estatísticas preliminares de tráfego do mês de março de 2013, realizando o comparativo com o mesmo mês do ano anterior.

No comparativo entre os meses dos dois anos, a capacidade de transporte de passageiros nos voos da empresa de linhas aéreas foi incrementada em 4,2%, enquanto que o tráfego de passageiros obteve um aumento de 7,7%. O aumento destes números é refletido no load factor da Companhia, que cresceu 2,5 pontos percentuais, alcançando 76,9%. Já o tráfego internacional de passageiros representou aproximadamente 55% do total no mês. Nos países de língua espanhola, Argentina, Chile, Peru, Equador e Colômbia, o tráfego doméstico de passageiros na operação da Companhia de linhas aéreas aumentou 14,9%, enquanto a capacidade cresceu 13%. Como consequência, a taxa de ocupação doméstica cresceu 1,3 ponto percentual, chegando a 78,3%. No Brasil, o tráfego do mercado doméstico cresceu 3,8%, enquanto a capacidade diminuiu 11%. Sendo assim, o load factor doméstico no País aumentou 10,4 pontos percentuais, atingindo 73,1%.

LATAM Airlines S.A.A empresa de linhas aéreas registrou um aumento de 8,1% no tráfego internacional de passageiros, enquanto que a capacidade teve um incremento de 13,3%. Desta maneira, a taxa de ocupação internacional de passageiros para o mês diminuiu 3,8 pontos percentuais alcançando 78,7%. O tráfego internacional inclui as operações internacionais de LAN e TAM Linhas Aéreas nas rotas entre países da América do Sul e de longo curso.

O Grupo registrou um crescimento de 0,4% no tráfego de cargas, já a capacidade aumentou 3,5%. O resultado é uma queda no lad factor de 1,8%, totalizando 60,1%. O aumento da capacidade de carga é resultado de uma maior disponibilidade das aeronaves de passageiros. O tráfego de carga foi impulsionado em determinados mercados pelo transporte de volumes mais elevados da e para a América do Sul.